PF: não vai sobrar pedra sobre pedra: saiba quem é quem…

A Odebrecht vai delatar o esquema de Marcio Thomaz Bastos, ex-ministro da Justiça de Lula, que utilizava da infraestrutura da Polícia Federal para extorquir e perseguir gente a mando do PT.

O conteúdo do livro Assassinato de Reputações, do ex-secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Jr.  (de que este escriba é co-autor) já revelara o modus-operandi da PF de Márcio Thomaz Bastos: “A PF como instrumento pessoal de pressão e intimidação” e a “PF é o braço armado e indispensável ao projeto de poder”. Agora, as delações da Odebrecht vão revelar a outra face da PF de Marcio Thomaz Bastos: a de arrecadadora para o projeto de poder do PT e a sua equipe de arrecadadores.

Naji Nahas, que tem relação estreita com Eduardo Cunha e com o ex-presidente Lula,  e representou os interesses da Pirelli e da Telecom Italia, no Brasil, era um dos principais agentes arrecadadores de Marcio Thomaz Bastos.

Naji Nahas era muito amigo da família Schahin e tentou intermediar um “acordo” entre Lucio Funaro, a família Schahin e Eduardo Cunha.

Confiram: http://piaui.folha.uol.com.br/materia/em-aguas-profundas/

Bem: este blog antecipou que a PF chegaria em Lucio Funaro, operador do PMDB. E chegou:

http://tognolli.tumblr.com/post/146613805530/chegaram-em-funaro-el-operador-temer-e-cunha

Naji Nahas utilizava Lucio Funaro como biombo para lavar o dinheiro distribuído através do esquema. Funaro está preso e já declarou ao Ministério Público sua intenção de fazer delação premiada, que não será a primeira. Funaro ficou conhecido publicamente por ser um delator do Mensalão.

Confiram: http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/amigo-de-cunha-esta-disposto-a-fazer-delacao-premiada/

Funaro é tido como explosivo, língua solta, e muito bem relacionado com Fernando Cavendish, preso e solto na Operação Saqueador. Cavendish ficou famoso pela “gangue dos guardanapos”, escândalo que estourou,  em 2011, após a tragédia que matou a sua mulher e revelou a sua intima amizade com o governador do Rio, Sérgio Cabral.

Vejam:

http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,delator-do-mensalao-funaro-tem-fama-de-ser-explosivo,10000060569

http://oglobo.globo.com/brasil/fernando-cavendish-da-amizade-magoa-com-sergio-cabral-19621363 http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrada/41905-a-gangue-do-guardanapo.shtml

As operações Lava Jato e Zelotes vão se entrelaçar com essas novas delações e atingir o pagamento de propina através de advogados.  A atuação de Marcio Thomaz Bastos também no Cade está na mira do MPF e no livro Assassinatos de Reputações,  Tuma Jr. escreveu que “o Cade é um órgão hipersujeito à instrumentalização do governo. Não foi à toa aquela disputa sobre o nome a comandá-lo entre Mercadante e Thomaz Bastos.”

Confiram:

http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/economia/pagamentos-do-pao-de-acucar-a-thomaz-bastos-e-palocci-entram-na-mira-do-ministerio-publico-federal/.

O MPF já está investigando e a Polícia Federal prendeu recentemente, em flagrante, um conselheiro do Cade.

Confiram: http://g1.globo.com/politica/noticia/2016/07/conselheiro-do-carf-preso-pela-pf-e-joao-carlos-de-figueiredo-neto.html

Como foi noticiado pelo Valor Econômico, a Odebrecht também negocia delação com as Justiças americana e Suíça.

Confiram: http://www.valor.com.br/politica/4628277/odebrecht-negocia-delacao-com-justica-americana.

Na Italia, a Odrebrecht também é investigada por pagar propina através Valter Lavitola, ao presidente do Panamá. Valter Lavitola, ex-número um de Berlusconi, foi condenado por extorsão na Itália. Esse processo envolveu Lula e Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil e da Previ.   A justiça italiana enviou uma carta rogatória para que Lula fosse ouvido.

Confiram: http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,italia-pede-para-interrogar-lula,1779950A.

A estrutura organizacional da Odebrecht era ampla e parecida com a estrutura que o PT desenvolveu para governar o Brasil. Segundo o coordenador da força-tarefa Deltan Dellagnol, a Odebrecht durante a gestão de Marcelo Odebrecht adotou a corrupção como modelo de negócio profissional.  Em Curitiba estão trabalhando 50 agentes do FBI ajudando a força tarefa na investigação dos crimes transnacionais, que envolvem, inclusive, pagamentos a FIFA para trazer a Copa para o Brasil e construir estádios superfaturados.

Confiram: http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/a-corrupcao-foi-adotada-como-modelo-de-negocio-profissional-diz-procurador-sobre-odebrecht/

Recentemente, Emilio Odebrecht, admitiu os atos ilícitos cometidos pela empresa aqui e no exterior, e afirmou que a empresa não vai mais admitir “elos podres” e tolerar desvios.

Confiram: http://www.valor.com.br/empresas/4626475/emilio-odebrecht-admite-erro-e-diz-que-empresa-nao-vai-tolerar-desvios
Na delação da Odebrecht nada será poupado, inclusive os pagamentos para que adversários fossem chamados para depor em CPI´s, extorsão para evitar depoimentos, e pagamentos para melar CPI´s.  Assunto já citado nas delações premiadas de Delcidio do Amaral.

Confiram: http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2016/06/23/membro-de-cpi-e-acusado-de-extorquir-investigado-em-plena-era-da-lava-jato/

http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2016/04/ex-senador-e-preso-por-extorquir-dinheiro-de-investigados-em-cpis-da-petrobras.html

http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2016/01/06/novo-delator-confirma-r-10-milhoes-a-ex-presidente-do-psdb-para-abafar-cpi.htm

A tentativa de melar a Lava Jato, via agentes “dissidentes” da PF sob comando de Paulo Lacerda também fará parte da delação. Esses “dissidentes” foram indiciados por corrupção passiva por oferecer informações internas da Lava Jato aos advogados e por violação de sigilo funcional. Segundo a PF esses delegados estavam passando informações para o então advogado da Odebrecht, Marcio Thomaz Bastos, morto em 2014. Os advogados Augusto Botelho e Marden Maués foram indiciados como cúmplices na corrupção passiva do delegado.

Confiram:  http://jota.uol.com.br/apos-indiciar-policiais-dissidentes-lava-jato-investiga-advogado-da-odebrecht

O modus-operandi da promoção de juízes vinculadas a compromissos com o governo petista, implantado por Marcio Thomaz Bastos, com sucesso, com a continuidade por outros ministros da justiça, foi desmascarado pela delação do ex-senador Delcidio do Amaral e confirmada pelo seu assessor e chefe de gabinete, Diogo Ferreira. Esse assunto também será descortinado na delação dos executivos da Odebrecht.

Confiram http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/delcidio-tratou-com-dilma-sobre-liberacao-de-marcelo-odebrecht-confirma-delator/

Bem: está dado o roteiro de como o Brasil vai se liquefazer…

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s